Bem-vindo ao meu blog

Desejo que todos sejam ricamente edificados quando por aqui passarem.

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Línguas no Seminário Teológico

Línguas entre os intelectuais do Seminário Fuller.
Por Peter Wagner

 “Robert Tuttle é um estimado colega meu, um dos professores do Fuller Seminary e um ministro da igreja Metodista Unida. Seu dom são as línguas privadas. Diz ele: “Há ocasiões, em minha vida devocional, em que não mais consigo exprimir meu ‘interior’... É então que permito que o Espírito Santo ore por meu intermédio, em um idioma que nunca aprendi. Luto todos os dias com os idiomas bíblicos... Digo um idioma porque creio que se trata de uma língua. Meu vocabulário vai aumentando. Conheço bastante sobre idiomas para poder identificar a estrutura de sentenças. Meu idioma desconhecido, ou língua de oração tem pontos parágrafos, vírgulas e até exclamações. Trata-se de um dom maravilhoso”. Cinco postulados sobre o falar em línguas “Nem todos os estudiosos dos dons espirituais concordam que se trata de um idioma real. Alguns lingüistas profissionais têm gravado pessoas que falam em línguas, e têm dito que não conseguem perceber qualquer estrutura lingüística. Mas visto que não têm gravado todas as línguas, talvez aquelas que foram gravadas sejam apenas expressões extáticas (N. E.: linguagem sem estrutura formal conhecida. Expressões isoladas e repetitivas, acompanhada de êxtase emocional), ao passo que em outros casos, como no de Tuttle, estejam em, assim chamadas, línguas verdadeiras. Porém, penso que essa questão é meramente acadêmica, pois a função é a mesma, tanto no caso de expressões estáticas como no caso de idiomas devidamente estruturados. Essa função foi descrita por Harald Bredesen, pastor do North County Christian Center, em San Marcos na Califórnia, mediante alguns postulados: 1. “As línguas capacitam nossos espíritos a comunicarem-se diretamente com Deus acima e além da capacidade de compreensão de nossas mentes”. 2. “As línguas liberam o Espírito de Deus em nós”. 3. “As línguas possibilitam nosso espírito de assumir ascendência sobre a alma e o corpo”. 4. “As línguas são uma provisão de Deus para fazermos catarse, pelo que são importantes para a nossa saúde mental.” 5. As línguas satisfazem nossa necessidade de toda uma linguagem de adoração, oração e louvor”.